Tenha uma marca forte no mercado em que atua



Se você deseja ter uma marca forte no mercado em que atua, precisa antes, entender a diferença de algumas coisas.


Muitas pessoas vem à agência e não sabem muito bem quais são os trabalhos que desenvolvemos e por vezes se confundem quanto a essas três palavrinhas.


Afinal, qual a diferença entre Brand, Branding e Branddesing?



Brand


A tradução literal da palavra brand, escrita na língua inglesa, é marca.


Entendemos aqui como logomarca ou logotipo de uma empresa, de um produto ou de um serviço.



Branding


A palavra branding, no entanto, é o que cria a personalidade da marca, atribuindo valores e emoção à marca para aumentar a percepção de valor e o seu mind share no mercado.


Sobre isso não temos como ilustrar, mas como sentir quando vemos uma marca da qual gostamos e respeitamos no mercado ou, ao contrário disso, quando repudiamos uma marca por algum feito inapropriado.



"Uma marca forte é reconhecível mesmo depois de ser desconstruída. O que sobra quando você remove o logotipo de um produto? Marca forte é muito mais que logo, isso é o que nós publicitários chamamos de 'smashable': uma marca que você pode desconstruir, parte por parte, e mesmo em seus pedacinhos consegue enxergar a sua totalidade". - diz Jussara Capparelli - Diretora Executiva de Atendimento e Planejamento da agência.



Para ter um bom branding não é preciso ser empresa grande, muito pelo contrário.


É preciso construir isso desde a sua concepção e com a sua essência inicial.


É preciso fazer uma entrega verdadeira de comunicação, dentro e fora do ambiente digital. 


É preciso fazer gestão de marca para torná-la mais conhecida e mais desejada, no coração e na mente das pessoas.



O mundo mudou e as pessoas mudaram por isso precisamos mudar a forma de nos comunicar com elas também!



Sendo assim...


Mais que nunca...


É preciso gerar experiência visual, tátil, verbal, olfativa se quiser criar vínculo emocional entre a marca e o seu público.


Anote bem 👉 branding não é marca, não é logo, não é site e, definitivamente não é cartão de visita e sua papelaria, mas a imagem, a concepção que os seus clientes têm sobre a sua empresa.


Essa relação, essa extensão, essa identificação é branding e não acontece de um dia para o outro e também não é algo que se impõe sobre os outros pois tem muito da percepção que possuem sobre a sua empresa.


Para a gestão de branding existem ações estratégicas que são adotadas para torná-la mais conhecida e mais desejada.


A construção e a consolidação da marca no mercado é resultante de um trabalho árduo que é feito de dentro pra fora: da concepção da marca e de todas ações cotidianas de employer branding, endomarketing, marketing e marketing digital.


Sendo a sua empresa uma Startup, uma Scale-up ou uma grande Organização, ela precisa estar sempre atenta ao seu branding.


Isso é algo que nunca para, um trabalho que nunca acaba e que você nunca deverá se descuidar.


Branddesign


Branddesign, veja como a palavra marca vem atrelada a outra palavra bastante comum para nós brasileiros, design; é a marca aliada ao design.

Branddesign, veja como a palavra marca vem atrelada a outra palavra bastante comum para nós brasileiros, design; é a marca aliada ao design.


Com o total apoio do design para o desenvolvimento dos elementos necessários para trazer à tona o valor percebido da marca através da forma e da identidade visual em tudo o que for visto pelo outro, como por exemplo: um produto, uma embalagem, uma feira, um evento e seus materiais de apoio.


Qualquer item deverá acontecer com identidade visual padronizada (conceito + textos + cores + formas) e respeitam características intrínsecas e extrínsecas da empresas.


Que vão desde aspectos poderosos e valiosos de missão, visão, valores, como também aspectos da natureza do negócio e da personalidade dos sócios, até mesmo a forma de negociação, ambiente, colaboradores e stakeholders envolvidos.



Absolutamente tudo é levado em conta e é impresso no D.N.A. da identidade visual da empresa em forma de branddesign.


Seus materiais são variados e quase sempre classificados em On e Off:


On


. site, e-commerce, app, hotsite, landing page, motion design, infographics, e outras infinitas opções.


Off


. folder, broadside, catálogo, news letter, revista, flyer, amostra, bandeja, sacola, brinde, kit coordenado, entre outros inúmeros itens.


Não basta apenas criar marca, awareness e desejabilidade é preciso gerar receita.


Pra quê serve tudo isso?


No final das contas, o que qualquer empresa pretende é...


Gerar receita! E tudo bem. Não há mal nisso.


É isso que a fará se manter de pé no mercado em que atua de forma saudável. Efetivando o repasse de salários para os colaboradores; dividendos para os sócios; pagamentos para os credores e investidores e adquirindo mais insumos para novas produções e aquisições.


Para tudo isso, não existem ações isoladas, seja em branding, seja em marketing... todas elas devem estar atreladas e em uníssono.


É como em um maquinário de relógio de pulso onde todas as peças precisam estar alinhadas, lubrificadas, trabalhando de forma cadenciada e para a mesma direção.


Não se chegará a lugar algum sendo um barco à vela à deriva, sem carta náutica; ou um

Cesna sem plano de voo ou uma orquestra sem maestro.


Nada acontecerá a contento se não houver sinergia e foco sem a mesma direção.


Com exceção da marca Coca-Cola, que nem precisou ser evidenciada, todos os namings, logos e peças publicitárias das marcas Plenum e Mr. John estão sendo desenvolvidas pela Outsize. Que ver mais alguns cases?

9 visualizações