O que o stress faz com pessoas de bem


Essa semana eu tive a oportunidade de presenciar uma situação angustiante de um profissional que eu considero ma-ra-vi-lhoso!


Mas que devido a pressão do dia a dia simplesmente estourou com um colega de trabalho.

Carreira | Employer Branding | Endomarketing


É que o tal colega tinha atitudes impróprias para com ele. Seja como for, as coisas precisam ser resolvidas na base das palavras sensatas e dos argumentos lógicos. Esse tipo de resposta credencia quem nós somos.


Os dias estafantes, o calor, a falta de sono, o excesso de trabalho, a briga com entes queridos, a falta de dinheiro, a falta de se alimentar na hora certa, enfim, qualquer coisa pode desencadear um surto de estresse.


Se você que me lê, se você nesse momento, em uma situação estressante, então leia este texto. E sim, ele muitas vezes também serve para mim.


Você quer entender o que a neurociência tem a nos dizer sobre isso?


Então fique comigo, respire três vezes profundamente, feche os olhos.


Calma, isso aqui não é Yoga, mas se possível saia de cena.


Se estiver no trabalho: vá para o bebedouro mais longe e tome um copo d’água, apreciando cada gole. Separadamente.


Se estiver em casa: saia para caminhar. Tome um ar, faz bem. Coloque o corpo em movimento. Isso tudo ajuda.


Sabe por que estou dizendo tudo isso?


Porque, em termos de neurociência, na parte da frente da nossa cabeça está localizado o Córtex, estamos falando do córtex pré-frontal onde estão presentes os pensamentos, o raciocínio lógico, ou seja, onde usamos a razão. Que luta para viver em equilíbrio.


É lá que experimentamos o julgamento, a perseverança, o controle de impulsos, a organização, o automonitoramento, a resolução de problemas, o pensamento crítico, a antecipação, o aprender com a experiência, a empatia e um montão de outras sensações.


No entanto, existe uma outra partezinha do cérebro, que se chama Amigdala. Não aquelas amídalas na região do pescoço que, de vez em quando, inflamam quando você está resfriado e que, em muitos casos, um clínico opta por retirá-las.


Estou falando da Amigdala, que em português, conhecemos como Amídala Cerebelosa, é bem pequenininha, do tamanho de uma amêndoa. Mas não a subestime pelo seu tamanho. Ela é poderosa.


A Amídala Cerebelosa é reguladora de todo o nosso comportamento sexual e agressivo, portanto não está sujeita à razão. Podemos chamá-la de “a parte animal do cérebro” (que outros animais vertebrados também possuem). E dela parte a reação instintiva. A que chamamos de FUGA ou LUTA.


Não vivemos em meio à natureza, mas se vivêssemos, o nosso cérebro emitiria os seguintes sinais para o nosso corpo:


. aumento dos ritmos cardíacos;


. respiração subir;


. aumento de adrenalina, e


. aumento da pressão arterial.


Para prepará-lo devidamente para a FUGA ou a LUTA, se tivéssemos diante de um oponente. Seria, em ambos os casos, um caso de sobrevivência. De vida ou morte. Muitas das vezes nos vemos assim no ambiente corporativo.


Então, quando começamos a experimentar esses sintomas fisiológicos significa que estamos perdendo o controle do córtex pré-frontal. Enfim, somos todos animais!

Acontece que não estamos mais na selva.


Nesse momento você perde a inteligência, perde a memória, perde o poder de raciocínio.


Conhece aquela expressão: ficou "cego de raiva"? Exatamente. Por isso é tão perigoso!


Uma vez que a amídala cerebelosa está ativada (a nossa parte animal), sabemos que vamos experimentar um mundo de sensações parecidas com a do reino animal. Para um animal, tudo bem, mas para um profissional pode ser o fim ou o atraso de uma carreira ou negócio.


Por fim, antes de que um surto desses possa nos afetar:


1. Devemos interromper o processo disparador antes que ele comece.


2. Se começou, respire fundo (a amídala cerebelosa responde às situações fisiológicas muito bem).


3. Se não vai controlar, vá embora. O movimento do corpo desliga a situação da amídala. Volte só e somente só depois de um tempo e da crise sob controle.


O importante é você saber que esses três pequenos conselhos podem nos poupar de muitos aborrecimentos futuros, aborrecimentos como os do meu amigo ma-ra-vi-lho-so do começo do texto.



Jussara Capparelli é Diretora de Atendimento e Planejamento da Outsize, Head em Branding e Marketing – possui especialização em Neurociência e Psicologia aplicada e graduada em Comunicação Social e Administração de Empresas com ênfase em marketing

Gostou da matéria? Nós da Outsize desenvolvemos estratégias de Employer Branding e Endomarketing para empresas que priorizam captar e reter colaboradores talentosos. Conte conosco você também!



8 visualizações

© Outsize 2019 | All Rights Reserved.